| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Imbu Brasil
Desde: 03/04/2001      Publicadas: 27      Atualização: 12/05/2012

Capa |  Artigos  |  Artigos publicados


 Artigos

  01/10/2005
  0 comentário(s)


Geléia de imbu

Resumo



A geléia do fruto do imbuzeiro é um concentrado composto de 1000 ml de água do cozimento dos frutos e 500 g de açúcar submetidos ao fogo, até que o conteúdo de sólidos solúveis alcance valores entre 65 a 70%. Esta concentração pode ser obtida após 45 minutos de cozimento. A geléia pode ser obtida de frutos inteiros ou em pedaços, da polpa ou do suco de frutos, adicionado a partes de açúcar, água, ácidos e/ou pectina. A produção de geléia de frutos do imbuzeiro possibilita a obtenção de renda para os agricultores na entressafra do imbuzeiro.

Geléia de imbu
Introdução



Diversas formas de aproveitamento do fruto do imbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda), tais como suco, doce, imbuzada, licor, xarope e geléias, demonstram o potencial que a espécie tem para contribuir com a melhoria da renda familiar da região semi-árida do Nordeste, de forma especial, com a sua industrialização caseira (Mendes, 1990).

A colheita do fruto do imbuzeiro, na época da safra, é uma das principais fontes de absorção de mão-de-obra e de renda dos pequenos agricultores.

A geléia do fruto do umbuzeiro é um concentrado composto de 1000 ml de água do cozimento dos frutos e 500 g de açúcar submetidos ao fogo, até que o conteúdo de sólidos solúveis alcance valores entre 65 a 70%. Esta concentração pode ser obtida após 45 minutos de cozimento. A geléia pode ser obtida de frutas inteiras ou em pedaços, da polpa ou do suco de frutas, adicionadas a partes de açúcar, água, ácidos e/ou pectina. A geléia de frutas é uma substância de consistência gelatinosa e translúcida.

Este trabalho teve como objetivo produzir geléia com frutos do imbuzeiro.



Material e Métodos



O trabalho foi realizado no período de janeiro a março de 2005. Foram colhidos os frutos no estádio de maturação do tipo imbu inchado (estágio entre o imbu verde e o maduro). Os frutos foram coletados em árvores de imbuzeiro localizadas na caatinga da Estação Experimental da Embrapa Semi-árido em Petrolina, PE.

Os frutos para o preparo da geléia foram lavados em água corrente e posteriormente imersos em uma solução de água, com 10 a 20 ppm de cloro, para sanitização dos mesmos, por 30 minutos. Posteriormente, foram lavados novamente em água corrente e potável.

Após a lavagem, os frutos devem foram cozidos inteiros com a casca, retirando apenas o pendúculo, em um recipiente com água, por um período entre 8 a 10 minutos, logo após o início da fervura, quando os frutos apresentarem uma coloração verde claro, foi escorrida a água com uma peneira.

A água proveniente do cozimento dos frutos foi passada em uma peneira fina para a retirada de possíveis partes da casca dos frutos e medida para o processamento adequado da geléia.



Resultados e Discussões



Para o processamento da geléia, adicionou-se para cada litro da água proveniente do cozimento do imbu, 500 g de açúcar cristal e 4 g de ácido cítrico e/ ou o suco de 1 limão.

Misturou-se o açúcar com a água, até a perfeita dissolução do açúcar. Depois, adicionou-se o ácido ou o suco do limão e levou-se a mistura ao fogo. O ácido cítrico foi dissolvido em um pouco de água antes de ser adicionado à mistura.

A mistura permaneceu ao fogo por 45 minutos, até adiquirir uma cor avermelhada com bastante espuma. Neste ponto, retirou-se uma pequena porção que foi colocada em um pires para esfriar por 3 minutos, para verificação se a geléia estva no ponto.


Após o preparo da geléia, foram realizados três testes de degustação, com uma amostra de 34 provadores, selecionadas ao acaso, com o objetivo de se determinar se a geléia apresentava as características organolépticas (aparência, sabor e acidez) correspondentes ao tipo de fruto utilizado para o preparo.
A geleia foi analisada sensorialmente quanto à aparência, sabor e acidez, utilizando-se o método para avaliação sensorial proposto por Moraes (1985) com o uso de uma escala hedônica de 9 pontos.

A preferência dos provadores em relação de aparência, sabor e acidez para a geléia do fruto do imbuzeiuro do tipo inchado, obteve o atributo "gostei muito" da aparência e do sabor, respectivamente, por 75 e 84% dos provadores. Em relação à acidez, a geléia foi apontado como pouco ácida por 50% dos provadores, indicando preferência na faixa de "gostei regularmente".



Conclusões



A produção de geléia com o fruto do imbuzeiro, pode ser uma alternativa alimentar e/ou fonte de renda para os pequenos agricultores que fazem seu extrativismo.



Referências Bibliográficas



MENDES, B. V. Umbuzeiro (Spondias tuberosa Arr. Cam.): importante fruteira do semi-árido. Mossoró: ESAM, 1990. 66p. (ESAM. Coleção Mossoroense, Série C - v. 554).


MORAES, M. A. C. Métodos para avaliação sensorial dos alimentos. 5. ed. Campinas: UNICAMP, 1985. 89p.




  Mais notícias da seção Artigos no caderno Artigos
12/05/2012 - Artigos - EFEITO DE DIFERENTES SUBSTRATOS NO DESENVOLVIMENTO DA JUREMINHA (Desmanthus virgatus L. WILLD)
Foram testados diferentes substratos, com o objetivo de verificar os que proporcionam melhores condições para o desenvolvimento de mudas de jureminha (Desmanthus virgatus L. WILLD). O delineamento experimental utilizado foi em blocos ao acaso com cinco substratos (areia, solo, areia + solo, areia + esterco e areia + solo + esterco, sendo as combina...
22/07/2010 - Artigos - EFEITO DO ESCOAMENTO SUPERFICIAL E DA PERDA DE SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO NO SEMI-ÁRIDO NORDESTINO
Os diferentes sistemas de cultivo utilizados pelos agricultores na região semi-árida do Nordeste apresentam reflexos diversos quanto aos valores de escoamento de água e perda do solo. Neste trabalho, objetivou-se avaliar o efeito do escoamento superficial e da perda de solo em três sistemas de cultivo. Os sistemas estudados foram: 1) Sulcos barrado...



Capa |  Artigos  |  Artigos publicados
Busca em

  
27 Notícias